segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Federação de Mocidade do PLMN 60 anos de História

Acampamento de Verão - Federação de Mocidade do PLMN
Neste ano a Federação de Mocidades do PLMN completa 60 anos de existência, se fosse um casamento diríamos que estaria comemorando Bodas de Diamante, mas casamento lembra aliança, elo, ligação, e um dos objetivos da UMP é cooperar com a Igreja, como parte integrante, nos seus objetivos de servir a Deus e ao próximo em todas as suas atividades, promovendo a plena integração de seus membros e dessa forma podemos dizer que a UMP está extremamente ligada à Igreja e a seus membros. Outro ponto que faz lembrar o casamento é o amor, um sentimento fascinante que balançou e ainda balança o coração daqueles que fazem parte dessa história. Agora, iremos viajar um pouco no tempo para entender um pouco dessa história.

Inicialmente vamos entender como surgiu a primeira Igreja Presbiteriana na nossa região, voltando no tempo lá em janeiro de 1897 quando Francisco Eller foi à Nova Friburgo onde conheceu o missionário e médico Dr. John Merry Kyle que prometeu vir a Alto Jequitibá. Tudo acertado, o missionário chegou a Alto Jequitibá em julho de 1897. Dr. John Merry Kyle, americano, presbiteriano, ficou em Alto Jequitibá até 1900. Ele prometeu procurar um pastor entre os novos formados no Seminário de Campinas. É oportuno lembrar que o 1º Templo da igreja foi inaugurado no dia 15 de outubro de 1897, construído pelo Sr. Henrique Eller. Era simples, com paredes de pau-a-pique, esteios de madeira e coberto de tabuinhas de cedro. O assoalho era de tábuas de jequitibá e sem forro. Os bancos não tinham encosto. Era denominada “Casa de Oração”. Licenciado em 30 de junho de 1901, Mattathias Gomes dos Santos chegou a Alto Jequitibá no dia 4 de julho de 1901. Foi ordenado como pastor em 24 de janeiro de 1902. O jovem pastor conquistou a admiração e a confiança de todos. Antes de ser ordenado, o licenciado realizou um trabalho intenso e não se limitou a Alto Jequitibá. Acompanhado de alguns irmãos jovens como Felipe Eller e João Leandro de Faria, montava a cavalo e visitava a todos os irmãos, orando com eles e anunciando a Palavra. Compareceu à reunião do Presbitério do Rio de Janeiro para ser ordenado em 24 de janeiro de 1902. Mediante a apresentação do seu relatório os membros do Presbitério nomearam uma Comissão para organizar a Congregação de Alto Jequitibá, em Igreja. No final da reunião, o Rev. Mattathias vai à estação Barão de Mauá, onde toma o trem de volta à Carangola e de lá para Alto Jequitibá. Chegando relata a sua ordenação ao sagrado ministério e a liberação do Presbitério para organizar a Congregação em Igreja. Explicou as exigências para a organização como Igreja: Eleição de Presbíteros e Diáconos. Fez muitas visitas e convocou o povo para a Assembléia destinada à organização da Igreja. Foram recebidas várias pessoas para profissão de fé e batismo e batismos de crianças. A data marcada para a organização da Igreja foi 9 de março de 1902. Aquele domingo não foi um qualquer. Muitos vieram de longe. Foi um dia de festa espiritual, e de muita gratidão a Deus. O Rev. Álvaro Reis veio do Rio de Janeiro e fez tudo conforme as prescrições do Livro de Ordem. Após o Culto houve a eleição dos presbíteros Antonio Pedro de Carvalho e Cristiano Cesar. Diáconos eleitos: João Leandro de Faria, Manoel Jorge Eller e Aniceto Ferreira Gomes. Eis que nasce uma Igreja com 105 membros maiores e 200 menores. O Rev. Mattathias permaneceu em Alto Jequitibá até junho de 1905. Enquanto aqui esteve percorreu as regiões de Jacutinga, Carangola, Santa Margarida, Manhumirim, Manhuaçu, Alegre (ES), Iúna (ES), Lajinha, Barra de Jequitibá, Caparaó, Espera Feliz, Fazenda Breder, Córrego da Onça, Córrego Braço do Rio, Muniz Freire (ES) (Córrego Rio Norte).

Homenagem a ex-presidentes:
Rev. Sergio P. Tavares
Agora que já entendemos um pouco da história da primeira Igreja em nosso Presbitério vamos lembrar um pouco da história da Mocidade Presbiteriana do Brasil. Em 1936 os jovens das centenas de igrejas presbiterianas do Brasil já estavam se organizando sob vários nomes, como por exemplo: Sociedade de Jovens, Sociedade Heróis da Fé, Sociedade Esforço Cristão, etc. O Supremo Concílio então recomendou que os pastores dessem todo o apoio para que os jovens se organizassem em cada igreja sob o nome de União da Mocidade Presbiteriana (UMP). Em 1938 o Supremo Concílio, reunido em Fortaleza-CE, entendeu que os jovens presbiterianos careciam de maior carinho, cuidado e atenção por parte dos ministros (em âmbito nacional). Assim criou a Secretaria Geral da Mocidade, nomeando para exercer o cargo o Reverendo Benjamin Moraes. Em 1946 as demais denominações evangélicas no Brasil já estavam se organizando em âmbito nacional. A partir de sólidas e animadoras informações do Secretário Geral, o Supremo Concílio reconheceu que estava no tempo de também os jovens presbiterianos terem a sua organização nacional. No Instituto Presbiteriano Álvaro Reis – INPAR, em fevereiro (1946), foi realizado o Primeiro Congresso Nacional da Mocidade Presbiteriana (CMP), hoje com o nome de Confederação Nacional de Mocidade (CNM). O primeiro presidente da Confederação foi o jovem Tércio Epêneto Emerique, mais tarde ordenado pastor. Em 1960, devido a dificuldades de relacionamento entre a diretoria da Confederação e a direção da Igreja, a Comissão Executiva do Supremo Concílio resolveu extinguir a Confederação da Mocidade Presbiteriana e alterar a estrutura do trabalho dos jovens em âmbito nacional. Vinte e seis anos a mocidade passou sem o seu órgão maior. Finalmente, em 1986, sob a coordenação do Reverendo Cleómines Anacleto de Figueiredo, então Secretário Geral, foi reorganizada a Confederação Nacional de Mocidade.

Homenagem a ex-presidentes:
Edna Milião P. M. e Oliveira
Depois dessa viagem no tempo que serviu para esclarecer o surgimento da primeira Igreja em nosso Presbitério e também o surgimento das UMP’s, faremos citações de fatos durante esses 60 anos de existência da nossa Federação, infelizmente serão citações superficiais, devido à dificuldade de conseguir materiais históricos, como Atas, fotos, arquivos, principalmente antes de 1990 quando o Presbitério ainda estava unificado. Em 1951 foi fundada a Federação de Mocidade Presbiteriana do PLMN, que naquela época ainda contava com os atuais Presbitérios do Caparaó e Vale do Manhuaçu, além do extinto Caratinga. Com mais de 40 Igrejas o dinamismo da Federação podia ser observado em todos os trabalhos realizados. Congressos, acampamentos, encontros regionais, festivais de música, etc., eram realizados com freqüência. Não foram poucos os eventos que contaram com mais de 250 jovens, que se hospedavam nas Igrejas e em dormitórios improvisados nas fazendas onde aconteciam os acampamentos. Os festivais de música mobilizavam praticamente todas as UMP’s da Federação, estes festivais eram concursos de músicas inéditas que contavam com jurados de outras cidades que não pertenciam ao Presbitério, algumas das músicas premiadas nos festivais chegaram ter repercussão nacional. Além dos prêmios individuais a Federação se preocupava em premiar as UMP’s, que ganhavam violões, guitarras, contrabaixo, e outros instrumentos. Nesse período a presença da Federação nos Congresso Sinodais fazia diferença pelo número de participantes e envolvimento nos trabalhos. Foram vários os presidentes Sinodais que fizeram parte da nossa Federação, além de tantos outros que compuseram a diretoria.

Em 1990 aconteceu o desdobramento do Presbitério, dando origem a três outros Presbitérios: do Caparaó, Vale do Manhuaçu e o extinto Caratinga. Com isso o número de Igrejas ficou reduzido para 12, sendo atualmente 17, com 18 UMP’s. Com o desdobramento surgiram novas lideranças, mais facilidade de comunicação, de hospedagem, de locomoção, etc. Proporcionalmente a participação dos jovens nos eventos da Federação continuou a mesma, podemos citar como exemplo dois trabalhos realizados este ano de 2011: o Encontrão realizado no Sítio Bom Jardim, na cidade de Manhumirim, que teve a participação de quase 100 jovens e o Louvorsão realizado na Igreja em Durandé, que teve a participação de aproximadamente 80 jovens.

Thiago Dutra Jardim
Ao longo desses anos muitos jovens que se envolveram nesses trabalhos da Federação, prosseguiram realizando relevantes trabalhos na Igreja, como Pastores, Presbíteros, Diáconos, Evangelistas, Missionários, Professores de Escola Dominical dentre outras funções na Igreja. Dessa forma encerramos acreditando que essa riquíssima história possa inspirar muitos jovens e o seu entendimento pode auxiliar na compreensão do presente e ajudar a projetar o futuro, para Honra e Glória do Santo nome de Jesus!

Thiago Dutra Jardim 
1º Secretário da Federação do PLMN

Fontes:
Manual Unificado das Sociedades Internas da Igreja Presbiteriana;
Livro ‘A História da Igreja de Alto Jequitibá’;
Depoimentos do Reverendo Sergio Pereira Tavares, Pastor da Igreja Presbiteriana de Manhumirim.

2 comentários:

  1. O texto acima foi lido por Thiago Dutra Jardim (1º Secretário da Federação do PLMN e Membro da Igreja Presbiteriana de Manhumirim - pres. da UMP local), no culto realizado no sábado, onde foi relembrada a história da Federação do Presbitério Leste de Minas-PLMN, no final do culto antigos presidentes foram homenageados, entre eles o Pr Sergio e a Edna também da Igreja Presbiteriana de Manhumirim.

    ResponderExcluir
  2. Acampamento da UMP
    Aconteceu na Igreja Presbiteriana de Lajinha mais um Acampamento da Federação de jovens do nosso Presbitério. Este, teve início na sexta-feira (7) e o término foi no domingo, 9/10 com o culto da noite. O Acampamento marcou os 60 anos de existência da Federação. O jovem Thiago, Sec. da Federação e presidente da UMP da Igreja Presbiteriana de Manhumirim participou. Parabéns à nossa Federação pelos 60 anos de trabalhos consecutivos!

    ResponderExcluir